Páginas

20 de mai de 2012

Livro: A Rainha dos Condenados

De vez em quando eu fico com vontade de ler sobre vampiros. É legal, divertido, tem toda uma mitologia por trás, enfim, eu curto.
Já  tinha lido o "Entrevista com o Vampiro" e o "Vampiro Lestat" há muito tempo, que são os dois primeiros livros da série, conhecida como 'Crônicas Vampirescas' que tem 12 livros no total - cada um com a sua independência, porém me parece ter uma ordem lógica. É como se cada livro fosse a resposta ao anterior - pelo menos foi isso que percebi nesses primeiros 3 livros.
No caso, "Entrevista com o Vampiro" - que tem o filme com o Tom Cruise e Brad Pitty, seria o primeiro, contado por Louis (Brad) para um jornalista revelando a sua história e descrevendo o Lestat (Tom) como o cara mais malvado do mundo. Então nesse mesmo universo, "O Vampiro Lestat" conta justamente o lado dele sobre os acontecimentos, e sua busca pela origem dos sugadores de sangue. E diga-se de passagem, Anne Rice vai até o antigo Egito, na época dos faraós, para mostrar o casal original.
Nesse terceiro livro, ela continua a história, e explica com detalhes como os vampiros surgiram.
Ao longo do texto fui percebendo que muito da "originalidade" de histórias como Vampire Diaries não existe de verdade. Anne Rice já disse que vampiros e bruxas andam juntos em sua criação. Outra coisa que a autora já previa era a homossexualidade entre os seres os chupadores de sangue. Antes de Charlaine Harris - autora de True Blood - descrever os imortais como imorais, Anne Rice já deixava isso disfarçado, mas claro em suas páginas. Vampiros são seres carnais, que gostam do prazer não importa de onde vem. Entre outros detalhes que só lendo o texto e vendo as séries de vampiros por ai que se percebe.
Pensando um pouco, se você já está pressupondo que vampiros existem, qual o problema de bruxas e outros serem sobrenaturais existirem também? Isso já é um pensamento antigo meu... Se você acredita em um ser, porque não acreditar em todos? Qual a diferença entre eles? Porque vampiros - mortos vivos que vivem de sangue humano - são mais "reais" que bruxas - pessoas que conseguem conversar com os espíritos, controlá-los a algum nível. E o mesmo vale para Lobisomens, ou Zumbis. Em um mundo em que existe um, o que impede de existirem os outros?
Mas voltando ao livro, tenho que confessar que levei muito tempo pra ler. A verdade é que a história começa a ficar meio enrolada e detalhada demais. Além disso, não existe exatamente um personagem principal. A narrativa é feita por mais que 4 vampiros. E os capítulos não tem muita conclusão, até eles se entrelaçarem no final. Sempre quando me acostumava com o personagem que estava narrando e me interessava em saber mais, o capítulo acabava e vinha outro. Às vezes dava vontade de pular os capítulos e ler só o que se relacionava com determinado personagem primeiro. E até aprender quem é, qual a importância para a história geral, como esse ser se relaciona com a Rainha... Fica um pouco cansativo.
Bom, é livro meio básico se você gosta de vampiros. Fizeram o filme dele também, e assim que ver faço uma resenha aqui comparando os dois.

18 de mai de 2012

Série: The Finder

Essa série é um spin-off de Bones, ou seja, a primeira vez que Walter Sherman apareceu foi um episódio da 6ª temporada de Bones.
Parece que as pessoas curtiram, e a Fox resolver produzir a série. Mas depois de apenas 13 episódios eles já cancelaram. Está acontecendo um abaixo assinado para Fox "descancelar" a série. Então se você já é fã ou simplesmente é meu amigo, assine por favor: http://www.thepetitionsite.com/406/663/146/save-the-finder-on-fox/ - falta pouco, mas não sei até que ponto isso de fato vai fazer a série voltar... achei 4000 assinaturas muito pouco...
Enfim, falando da série, ela tem como principal o Walter Sherman, um cara que precisa de encontrar sempre o que está procurando. E ele desenvolveu a capacidade de encontrar coisas que praticamente ninguém encontraria. Ele é a pessoa que você procura quando está tentando encontrar a "agulha no palheiro". A história do personagem inclui ser um ex-militar, que sofreu um acidente em uma das incursões e foi depois desse acidente que ele ficou com essa "mania de achar". Nessa história de militar que sua vida cruza a do Booth (de Bones) - eles serviram junto. Ele é um personagem extremamente carismático, que vive repetindo que as pessoas nem sempre sabem o que estavam procurando de verdade, por trás do pedido. E nos episódios, ele sempre vai encontrar as coisas mais estranhas, como a reputação de alguém, o resto de uma conversa ou coisas assim...
Mas além dele temos a graciosa Willa, uma cigana que está em liberdade condicional, e que o Leo (Michael Clarke Duncan) aceita para "criar" e tentar ensinar o que é bom e ruim - afinal na vida cigana dela, a família a ensinou a roubar. Com certeza minha personagem preferida.
Outra personagem bem interessante é justamente o Leo. Um advogado, melhor amigo do Walter, que cuida dele. Era um grande advogado de terno e gravata, mas mudou bastante após sua mulher e filha (que teria a mesma idade da Willa) morreram em um assalto.
Para completar o quarteto, temos a Isabel - que é a policial que tira o Walter das enrascadas, ajuda quando precisa de uma arma e um distintivo, e ainda é romanticamente envolvida com ele. É alguém que eu gosto também, apesar de achar que não explorada direito pelos roteiristas.
Enfim, acho que essa série merecia um bom roteirista para arrumá-la e aproveitar melhor os atores e a história, que é ótima. A ideia é bem diferente daquela que estamos acostumados a ver e os "casos" que ele resolve são bem mais divertidos.
Gostaria bastante que voltasse a grade, mas é esperar e ver se esse abaixo assinado realmente vai valer.
Não esquece de ir rapidinho no site http://www.thepetitionsite.com/406/663/146/save-the-finder-on-fox/ e assinar a petição! :)

16 de mai de 2012

Série: Vampire Diaries

E aconteceu no final da terceira temporada o que acontece no final do 2º livro. Como disse uma amiga que ama os livros mas não curte a série: "Finalmente" !

Essa série saiu na época que vampiros estavam em alta por causa de Crepúsculo. Foi uma forma de tentar trazer a onda para a televisão. E por isso eles fizeram algumas concessões. Qualquer pessoa que já pegou o 1º livro, sabe que a Elena seria loira, cheia de si, com certeza do que quer da vida. Enfim, uma pessoa muito mais a Katerine da série. E nos livros, a Katerine seria muito mais Elena...
Inverteram isso, e eu acredito seriamente que foi pra fazer a Elena mais parecida com a Bela de Crepúsculo.  Só observar um pouquinho, e você verá que a Nina Dobrev (atriz que faz a Elena/Katerine na série) faria uma Bela muito mais interessante que a atual...
Por isso, no começo da série fiquei meio de pé atrás... Mas rapidinho a história dos 2 irmãos Salvatore me conquistou. Tem algumas coisas meia estranhas, alguns episódios não muito bons... mas na média, é uma série muito interessante. E eles sabem fazer final de temporada... Sempre deixam um gacho muito bom... E no final dessa 3ª não podia ser diferente...
Enfim, gosto muito da série televisiva, porém nos livros nunca consegui passar do 2º... achei meio chato... Pode ter sido mal traduzido, mas o fato é que não vou comprar o resto. Se conseguisse emprestado, acho que leria sem problemas...
Voltando a TV, Nina Dobrev parece ser uma pessoa muito simpática, mas quem me ganha mesmo é o Ian Somerhalder, que é lindo e simpático. E o personagem - Damon - cheio de malícia. Um cara sem moral, mas que no final larga tudo para salvar seu irmão. Tanto não tem moral, que respeita a Elena como ninguém jamais respeitou. Quando esperamos que ele vá simplesmente matar alguém, ele o salva. E quando achamos que ele vai salvar, ele mata. Os ataques de fúria, e de bondade - tudo controlado. Ele me encanta e surpreende. Mas a Helena jamais vai ficar com ele... Afinal, ela é obcecada pelo Stefan...
Que diga-se de passagem, nesse último episódio percebemos que isso só é verdadeiro por causa de uma "compulsion" do Damon. Ele falou que ela teria tudo o que queria, um amor com aventura e tudo, e a próxima pessoa que apareceu na vida dela foi o Stefan.
Agora, que toda a "compulsion" será eliminada, vamos ver o que restará.
Estou ansiosa pela próxima temporada.

13 de mai de 2012

Série: Psych

Já faz um tempinho que assisti ao último episódio da 6ª temporada, mas confesso que essa série não é das favoritas, ou seja, não é daquelas que tenho que assistir no dia que sai o episódio no EUA e tudo.
Mas é uma série que tenho muito carinho por ela. É divertida, fofa e os atores parecem ser muito simpáticos e unidos. Os erros de gravação no final de cada episódio vale quase tanto quanto o episódio em si.
Mas falando da história, temos o Shaw, um gênio, filho de um ex-policial, que nunca quis nada com a vida. Treinado desde pequeno pelo pai, aprendeu a observar tudo a sua volta e essa capacidade de observação acaba fazendo dele um "médium". Logo no primeiro episódio, ele liga para a polícia e resolve um caso que apenas viu pela televisão. Os policiais começam a achar que ele é o parceiro, e para se livrar da acusação, ele diz ser médium (psych - em inglês) - porque falar que descobriu a resposta observando detalhes que os policiais deixaram passar ficaria meio feio...
É assim que surge a agência de investigação "Psych", onde Shaw e seu fiel escudeiro Gus (que fazem um dupla muito divertida de assistir) fazem as investigações e ajudam a polícia a resolver os casos mais estranhos. Até um dinossauro já foi o assassino de um episódio...
Todos os episódios da série existe muitas referencia a filmes que não necessariamente já assisti ou reconheço com o nome em inglês, assim sei que perco algumas das piadas da série, mas mesmo assim ainda é bem divertidada.
Os outros personagens, como a Juliet, o Lassiter e o Henry (pai do Shaw) também dão um toque a mais.
É uma série divertida, passatempo para aquelas tardes sem nada para fazer que você está com vontade de rir.
Essa é a música de abertura da série. Para quem acompanha, verá que eles brincam muito com ela ao longo das temporadas. Tem versão couboy, versão romantica... várias versões diferentes...