Páginas

27 de jun de 2011

Série: The Listener

Essa é a primeira série canadense que assisto. E sinceramente, gostei muito.
Se passa em Ontaro e gira em torno de um paramédico que consegue ouvir os pensamentos das pessoas, algumas vezes inclusive ver cenas.
Como na história de todo o heroi, no primeiro momento ele acha que o dom é uma maldição e aprende a fechar a conexão com as pessoas, a não ler. Porém, há pensamentos mais fortes que ultrapassam essa barreira e ele acaba se sentindo compelido a ajudar essas pessoas.
Na história tem a médica/namorada/ex-namorada - não dá para entender direito a relação deles, parece um namoro complicado que ao longo da série acaba se transformando em amizade.
Há também a policial linda - de boa, aquela atriz é muito linda... bom, todos os atores dessa série são - que está sempre ajudando ele a dar um final aos casos, e em alguns momentos, ele a ajuda a resolver os casos delas. Não curti muito a saída dela no final da primeira temporada, e a policial que a subtitui não vende muito bem no começo da segunda temporada, mas depois que você se acostuma com ela, até que vai...
O amigo simpático sempre tem que ter presente, que é o parceiro dele como "EMS" que seria uma sigla para os enfermeiros que são responsáveis pelo primeiro contato com vítimas de acidentes e levá-las para o hospital - o que aliais, é outra coisa que gosto nessa série, a médica é só mais uma personagem, e a função dos outros funcionários do hospital são bem valorizadas.
O personagem principal - Toby Logan - tem os olhos lindos, e claro, uma família cheia de mistério, que ainda não foi resolvido. Sua mãe também tinha o dom de ler pensamentos, ficou meia maluca e com complexo de perseguição. Até o final da primeira temporada achamos que ela está morta, mas ai falam que ela está viva, e a coisa fica confusa e ninguém entende mais nada...
Na primeira temporada, a série tem sérios problemas de iluminação, que na segunda são bem resolvidos. Os canadenses estão aprendendo a fazer audiovisual... :)
Mas enfim, faz parte... e se você também é dessas pessoas que adoram um super heroi, essa série super vale a pena conferir!

23 de jun de 2011

Aleatório: Conto

Ela entrou por aqueles corredores com o chão de ladrilho pela primeira vez, percebendo que nos próximos 4 anos ela passaria por aquela entrada todo o dia de aula.  Olhou em volta e percebeu o frio, o estranho do momento. “Droga, eles estão aqui” ela pensou. E quando viu, uma mão gelada puxou seu braço. Ela olhou, viu algo já conhecido, e sem pensar muito, pegou sua estaca de madeira, já estrategicamente colocada na manga da jaqueta, e enfiou no coração do monstro. Como sempre acontecia, o mesmo explodiu em pó silenciosamente. Ela olhou em volta, assustada, pensando que alguém poderia ter visto. Por sorte, nesse momento o corredor estava vazio. Ela arrumou a roupa, virou a esquerda e seguiu até a secretaria para fazer a matrícula como a mais nova estudante de comunicação na Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Blanche era uma menina que desde os 15 anos já sabia que sua vida não seria normal. Sabia que dificilmente poderia casar, ter filhos e muito menos ter uma profissão. Ela conhecia o segredo, podia vê-los e seu trabalho era matá-los. Os vampiros estavam em todos os lugares, disfarçados de pessoas e quase ninguém percebia a diferença. Ela era capaz de sentir o frio na presença deles, a temperatura gelada de suas peles. Mas mesmo sabendo desse trabalho, sempre quis entrar para faculdade, e por isso conseguiu entre lutas e estudos, passar no vestibular da UFRJ. E agora, no dia da matrícula, percebeu que jamais se livraria da sua obrigação como caça vampiros. Eles estariam na faculdade e olhando bem para o prédio, percebeu era tudo o que eles queriam. Muitas esperanças e sonhos para serem destruídos, o local, mesmo de dia, não recebe muita luz solar. Percebeu então que teria muito trabalho para sair dali viva e imediatamente pensou em desistir. Mas se lembrou que nenhuma caçadora jamais desistiu de um desafio, e ela escolheu o dela. Conseguir um futuro o mais próximo do normal.
O resto da matrícula correu tudo bem, e não viu mais monstros por perto. Desconfiou um pouco da secretária, mas no final era só uma humana mal humorada. Pegou seu horário e analisou como seria o semestre. Como caiu no turno da noite, e já imaginou que nos intervalos ia estar caçando vampiros. Voltou para casa preocupada e já montou seu horário de vida, com os treinos e momentos de estudar. Apesar da força e agilidade extra que vinham com a responsabilidade de ser uma caçadora, ela precisava treinar muito para nunca ser pega de surpresa. Sempre tinha alguém querendo matá-la. Percebeu que teria a manhã para dormir, a tarde para treinar, parte da noite para estudar e o resto para caçar. Teria que arrumar um jeito de fazer todos os trabalhos da faculdade na hora das matérias. Não teria como arrumar tempo extra, pois já estava com pouco tempo de sono.
Nas semanas seguintes, antes do início da aula, Blanche treinou como nunca antes. Correu, nadou, treinou artes marciais, praticou matar vampiros. Toda a noite ia à caça deles e matava cerca de 3 por noite. Mas sempre tinha mais um pro dia seguinte e nunca uma folga.
Até que chegou o primeiro dia de aula. Já arrumou sua mochila com os equipamentos de caçadora escondidos, para que nenhum coleguinha de turma visse, afinal não queria ser vista como a aberração que carrega estacas de madeira, crucifixo e água benta na mochila. Decidiu só usar lápis de madeira. Não são uma estaca, mas dá para segurar algum por um tempo para pegar a estaca de verdade.
Quando chegou, a presença daquela quantidade de pessoas a assustou. Como iria fazer para passar desapercebido? Já foi difícil o suficiente no ensino médio. Assim que entrou no prédio, o frio a invadiu de novo, sentiu a presença deles, misturada com a presença de tantos humanos. Como achá-los nessa confusão? E como matá-los sem que ninguém percebesse? E assim Blanche percebeu em seu primeiro dia de aula que fazer faculdade seria mais complicado do que ela poderia pensar. Foi para a sala, e a sensação da presença deles sempre presente. Entrou, achou um lugar perto da porta, estrategicamente posicionado e esperou o professor chegar.
A primeira semana com certeza foi uma das mais complicadas. Conseguiu matar alguns vampiros e ficou bem assustada quando os morcegos passaram pelos corredores e os alunos não ligaram.  Eles já estavam presentes na vida dos alunos e professores. Conseguiu manter sua rotina, treinando, estudando, matando vampiros, indo às aulas. Ainda não tinha feito amigos e não deixava ninguém chegar muito perto. Tinha que se concentrar para realizar seu sonho. Descobriu lugares pelo campus onde tinha uma maior concentração de monstros, e conseguiu matá-los sem que ninguém visse. Suas notas não eram as melhores, mas estava conseguindo sobreviver.
Até o dia em que tudo deu errado. Já era o final do semestre, e com ele veio uma pilha de trabalhos. Blanche não conseguiu manter sua rotina e teve que diminuir seu tempo de treinamento para conseguir fazer todos os trabalhos. Com isso, começou a ficar mais lerda. Seus reflexos não estavam mais tão bons, seus golpes mais fracos e a quantidade de vampiros mortos por dia foi diminuindo. Eles, por sua vez, quando sentiram que ela estava enfraquecendo, resolveram criar o máximo de vampiros possíveis para acabar com a caçadora de uma só vez. Transformaram praticamente toda a turma de Blanche, e quando esta chegou para entregar um trabalho final que tinha passado a noite inteira escrevendo, todos estavam lá a sua espera.
Assim que deu um passo para dentro da sala de aula, sentiu o frio. A temperatura estava mais baixa do que podia imaginar em toda a sua vida. Sentiu a presença, mas não queria acreditar. Todas aquelas pessoas transformadas? Foi em direção ao professor, entregou o trabalho e quando este segurou seu braço, um arrepio percorreu seu corpo, e sabia que estava tudo errado. O que estava acontecendo? Transformaram até o professor? Todos a sua volta eram vampiros, querendo matá-la e acabar com a caçadora. Todos sabiam que outra iria ser treinada quando ela morresse, mas esta dificilmente iria para a faculdade. Isto foi um feito de Blanche.
Claro que ela não iria sem uma luta. Rapidamente, pegou a estaca escondida na manga da jaqueta e começou a luta. Todos vieram para cima dela, e ela socava, chutava, colocava a estaca no coração. Dois viraram pó, o terceiro a segurou de tal forma que não conseguia sair. A falta de treino e preparo a enfraqueceu. O sono estava dominando. Quando viu, estava sendo mordida. Percebeu então que não queria matá-la, apenas transformá-la. O único problema, é que o processo de transformação de humano em vampiro mata uma caçadora. Todos os antigos sabiam disso, mas aqueles vampiros foram mal instruídos.
Ela jamais saiu daquela sala de aula viva. Todos os corpos viraram pó, inclusive o dela. E a história da caçadora, dessa caçadora, acabou ai. E na história das caçadoras de vampiros, descobriu-se que uma caçadora dificilmente pode virar universitária, pois os campus em todo o mundo estão infestados de vampiros prontos para se aproveitarem dos estudantes querendo viver a vida, e os sacrifícios que se tem que fazer para conseguir um diploma enfraquecem quem depende de treinos para se manter viva.

21 de jun de 2011

Livro: Anna e o Beijo Francês

Com esse livro aconteceu uma coisa que há muito não acontecia comigo... Fiquei acordada até altas horas lendo e só fui dormir quando acabou o livro.
Não é um suspense, no qual você quer muito saber qual a resposta, é apenas um romance, bem infanto-juvenil para ser sincera. Mas é tudo o que eu queria para mim!
A história é sobre uma menina, que vai cursar o último ano do ensino médio na França, em um colégio interno. Ela é americana, e o colégio é para americanos, a maioria filho de pessoas bem ricas que não querem o filho muito perto de casa...
Enfim, praticamente todos os personagens odeiam seus pais, por um motivo ou outro. Mas a verdade é que no final todos adoram o colégio e a possibilidade de viver em Paris por 1 ano sem seus pais para pertubar, e com o álcool legalizado, o que se você mora no EUA (21 anos...) faz bastante diferença.
Desde o começo já sabemos com quem a protagonista vai ficar no final, mas isso não me impediu de ler, ler e ler direto!...
Histórias da França são contadas além do drama adolescente.
Como sempre, as editoras estão precisando de tradures e revisores. Há bastante erros de escrita e português.
Sendo bem sincera, descobri esse livro meio sem querer, no site da saraiva e acabei comprando porque tinha vídeo da editora, e como estou estudando em uma das minhas matérias, isso é super inovador e não dá retorno imediato... Meio que por isso eu comprei. E estou bem feliz que tenha feito.
É um lindo romance para se desligar da vida por algum tempo. Super recomendo se você gosta de romances

15 de jun de 2011

Filme: X-men 1ª Classe

Aviso logo, esse filme está muito bom! Se você ainda tiver a oportunidade, vá assisitir no cinema.

Descobri recentecemente que o 1ª classe na verdade é referente ao fato de ser a primeira turma que Prof. Xavier dá aula... que inclui o Magneto! No filme mostra a origem do nome deles, e o porque o Magneto nunca matou ou foi atrás do Xavier. Mostra até o porque de eles sempre terem sido amigos, apesar de discordar em pontos essenciais. Nesse filme o início é mostrado...
Até como o Xavier ficou paralítico e a Mistica virou a Mística e seguiu o Magneto... (Tudo por amor...)
Aliais, a Mística é uma das minhas personagens preferidas nesse filme!
Me parece que a casa dos x-mem fica em Londres, fato que não sabia...
Os 3 segundos de cena deles conversando com o Wolverine é uma das melhores cenas.

Bom, agora é esperar o segunda classe e ver qual mais eles vão fazer...

Estou pensando seriamente em comprar os DVD's da série X-men... nunca tive o prazer de conseguir as histórias em quadrinhos para ler, mas adoro muito os filmes e os desenhos...

5 de jun de 2011

Filme: Charlie St. Cloud

É um filme emocionante, mas para quem acredita em vida após a morte.
Enfim, é a história de um garoto que é praticamente um anjo, cuida do irmão, ajuda a mãe e ainda é o melhor em velejar, sempre ganhando. Conseguiu uma bolsa para Stanford, e todos esperam muito para ele.
Mas ai o acidente acontece e o irmão mais novo morre. E para surpresa de Charlie, ele encontra o irmão na floresta atrás do cemitério, e combina com ele que todos os dias, no pôr do sol, estará lá para treinar e passar um tempo com o irmão mais novo.
Assim, todos os planos grandes para a vida são deixados em espera, e ele arruma um emprego no cemitério e mantém um rotina de encontrar o irmão todo o dia ao por do sol, por 5 anos. (problemas de maquiagem no filme, que o Zac Efron - que faz o personagem principal, não parece 1 dia mais velho...)
Enfim, até que aparece a garota, e Charlie tem que escolher...

Agora entra a parte de Spoillers, então se você não quer saber, não leia...

A menina reaparece na vida dele, velejando, um esporte que ele abriu mão a um tempo por causa do emprego/irmão e eles vivem uma histórinha de amor.
Mas ela tá em um meio termo, entre a vida e a morte, e ele tem que escolher entre resgatá-la ou ir encontrar o irmão ao pôr do sol...
Não é dificil de imaginar a escolha que ele faz...

Enfim é um filme bem emocionante, mas como essas descobertas de "tá viva", "tá morta" acontecem muito rápidas, não dá muito tempo para ficarmos emocionados, por isso imagino que o livro seja bem mais interessante, e realmente seja um desses que lemos chorando, afinal eu chorei um pouco no filme...
Recomendo para passar o tempo... e se alguém ai tiver o livro para me emprestar, eu agradeço... :)

4 de jun de 2011

Livro: Crescendo

Segundo livro, que só li porque já tinha lido o primeiro. E sinceramente, se você não começou a ler essa série, nem começa... não vale a pena.
O livro é bem fraco, e não melhora...
O final não é digno. Acaba no climáx. Quando se para para pensar, a história é a mesma dos dois primeiros livros, e quando parece que vai mudar um pouquinho, acaba.
A personagem principal briga com o anjo dela por nada. Simplesmente briga, parecendo que está numa TPM constante. O cara não fez nada!

É... não tem muito mais para escrever sobre esse livro... não vale a pena perder tempo...

3 de jun de 2011

Filme: Beastly

Vi uma vez esse trailer no cinema, achei que deveria ser divertido, mas nunca passou no cinema, já tinha quase esquecido...
Até que caiu nos meios da internet, com uma qualidade boa. A vontade de adiar as mil coisas que tenho para fazer me fizeram vê-lo e agora parar para escrever sobre o mesmo...
Enfim, como já parece pelo nome, a história é a da Bela e a Fera, contata pela perspectiva da Fera, o que é uma coisa muito interessante. Ai já começam as diferenças.
Além disso, o filme se passa nesse século, em Nova York, ou seja, é uma versão recente do conto.
A verdade é que mesmo quando o ator principal se transforma em Fera, ainda continua lindo, mas tudo bem.
Vanessa Hugens continua com sua personagem de sempre, mas pelo menos nesse filme não cantou.
Gostei do Neil Patrick Harris, no papel de tutor cego, apesar do personagem não vender como cego, e ser basicamente o mesmo que o Barney do How I Met Your Mother, mas como adoro o personagem dele na série, não me importei com isso.
Gostei de rever a Mary Kate Oslen, como a bruxa que transforma ele na Fera... De fato, a melhor personagem da trama. 
Mas o ator principal não pode ser deixado de lado. Interpreta o papel do filho rico, mimado e antes lindo com perfeição. Salva o filme em praticamente todos os aspectos. Com o pai que só pensa em beleza e dinheiro, a mãe sumida, ele realmente vende o gênero 'rico-pobre'. Seus discursos iniciais são bem idiotas, mas acho que eram para ser mesmo...
Enfim, se você é fã de contos de fadas, e gosta dessa história, pode ser que vá gostar do filme. Fica ai para quando tiver sem nada para fazer, ou adiar alguma coisa...